Só Templates

Créditos



Layout by



sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

*BDSM descobertas sem fim.*

Descobrir a si mesmo é algo grandioso e complicado, algo que martiriza quem tem sede de conhecimento.

Busco cada dia me descobrir como mulher cadela e submissa.
Parece loucura, mais existe grande diferença entre cada uma das coisas.

Como mulher, busco os limites de um corpo que jamais foi explorado da maneira que hoje vejo que é muito importante pra mim.

Como cadela, busco me privar de minhas vontades e realizar apenas as que me forem ordenadas.
Como submissa, busco baixar minha cabeça toda vez que me der vontade de olhar nos olhos e dizer que não posso, não quero, não sou capaz.
Pois abrir mão de suas vontades não é fácil ainda mais para alguém que se acostumou a sempre ter suas vontades atendidas o mais rápido possível sem rodeios e sem ser questionada.

E hoje me vejo aos pés de alguém que me domina apenas com um olhar.
Sinto-me tão dele, tão frágil aos seus desejos, mais forte pq, por mais que seja difícil pra eu realizar eu tento me superar para que suas vontades sejam sempre feitas.

Não me preocupo com minha dor se for pelo prazer dele, e se ele quiser e for de sua vontade sinto prazer, se não for fico em um canto tentando acalmar um corpo em chamas, pois dar prazer ao meu SR é um prazer indescritível pra mim.

E assim vou me descobrindo cada dia que passa, descubro-me pro meu Senhor. Para ser pra ele não perfeita, pois não ousaria tentar ser o que ele é para mim, mais busco a cada dia testar meus limites para que quando me tocar não seja menos que ele deseja e nem decepcione suas expectativas em relação a esta cadela sonhadora.

Tive uma experiência com gelo e amei, de inicio achei que não ia agüentar parecia algo impossível para eu fazer. Mais com determinação insisti e aos poucos fui me acostumando com o gelo batendo em minha pele e queimando como fogo.

A sensação que tinha era de dor apenas, mais depois fui apreciando esfregando o gelo aos poucos sobre a pele e a dor ia se transformando em prazer.

Hoje fico imaginando e se eu não tentasse? E se não insistisse tentando alcançar meus limites... Com certeza não iria conhecer algo que hoje me faz bem algo que me deixa completamente excitada.

Esse foi um dos limites superados.

Depois me apavorava a idéia de algo relacionado a fogo.

Quando ouvia meu SR falando em usar velas o meu corpo se arrepiava inteiro, meu coração parecia que ia sair pela boca.

Ficava imaginado que a dor deveria ser muito forte e infelizmente seria algo que não poderia fazer pelo meu Senhor.

Isso me apavorava, era mais um limite para superar, mais um medo a descartar de minha vida.

Lembrei que minhas vontades já não mais me pertencem, e se desejo realmente servir meu Senhor, que elimine a palavra não consigo de minha cabeça.

Então novamente me pus a testar-me.
Tirei minha roupa, e peguei uma vela.

Acendi e deitei em minha cama, fiquei durante um tempo apenas olhando a vela queimar, a beleza do fogo e algo que encanta, seduz e assusta.Nesse tempo como sempre, muitas perguntas, muitas dúvidas não paravam de me atormentar, por varias vezes apaguei a vela e pensei em desistir, mais algo dentro de mim me fazia acender novamente.

Então fechei meus olhos e deixei a primeira gota cair sobre meu seio.

Não caiu onde tinha intenção, queria sentir a cera no bico do seio, mas como as mãos não paravam de tremer caiu um pouco abaixo. Contorci-me em cima da cama, ate esfriar a dor era grande.
Pensei isso definitivamente não da pra mim. Risos

Mais algo na vela me seduzia e aos poucos fui novamente criando coragem.

Então elevei um pouco mais a vela e fui deixando as gotas caírem aos poucos.
As primeiras gotas batendo no seio no bico já caiam meio frias e lentamente secavam e endureciam sobre minha pele.

E aos poucos abaixava mais a vela, para sentir as gotas cada vez mais quentes batendo no meu seio.

A dor aos poucos ia se transformando em prazer.
Comecei a deixar juntar um pouco mais de cera para poder novamente pingar.

E assim demorava um pouco mais para esfriar e isso prolongava meu prazer.Quando percebi já estava com os seios cheios de cera, já estava criando uma camada que foi se desenhando aos poucos.

Parei... Olhei-me e não acreditava que algo que temia tanto podia ser tão gostoso de sentir.

E novamente mais uma descoberta... Ou melhor, duas.

1°. Temer o desconhecido faz parte, mais se deseja realmente conhecer seu corpo e seus limites, não desistir sem antes ter tentado de coração se superar.

2°. O gelo que é algo que pensamos que só esfria pode queimar tanto ou igualmente como o fogo.

Antes de usar a cera pensava que o gelo era algo mais inofensivo que o fogo.
Enganei-me completamente dependendo da proporção e como for usado pode queimar até mais.
Não pensem que a história que te anestesia vai funcionar que não é bem assim.
Tem que realmente gostar de sentir. Apreciar o que as descobertas podem lhe proporcionar.

Sentir com o coração com a alma e automaticamente sentirá prazer total nisso. Depois dá ate para enfeitar, pois, se descobrir deve sempre ser um prazer.

Alma submissa todas temos.

Porem a beleza em descobri-la ainda é algo difícil mais não impossível.

Sonhadora Safia®

Submissa se descobrindo a cada dia que passa e com fome de conhecimento de seus limites cada vez mais


quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

*Apenas um mimo*


terça-feira, 16 de dezembro de 2008

*Prazer Dor & Beleza*
















quarta-feira, 10 de dezembro de 2008




segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

*Espelhos da Alma*




domingo, 7 de dezembro de 2008

*10 Mandamentos de uma slave*

1 - Irei me comportar diante DELE do modo como uma escrava deve, esmerando-me cada vez mais em atingir a perfeição por ELE desejada.


2 - A submissão que dedicarei a ELE será absoluta e sem qualquer contestação sobre as decisões que ELE tomar, cabendo-me apenas contentar-me e acolhê-las com resignação e humildade.


3 - Serei eternamente paciente, obediente e subserviente às vontades DELE.

4 - Cumprirei todas as obrigações que por ELE me forem determinadas, com alegria e disciplina.


5 - Saberei aguardar pacientemente pelos momentos em que ELE me permitirá estar mais próxima DELE, como mulher e amante.


6 - Jamais interferirei na relação que ELE mantiver com outra escrava, pois estou consciente do lugar que ocupo e das prerrogativas que ELE tem como DOMINADOR. E sendo assim, em nenhum momento manifestarei sinais de ciúmes ou quaisquer outras atitudes que possam aborrecê-LO.


7 - Todos os castigos e todas as torturas que ELE quiser me impor serão aceitas sem qualquer ressalva, pois confio na sensatez e na coerência DELE, e na percepção que tem dos limites da escrava que possui.


8 - Irei me empenhar continuamente na superação desses limites para que possa oferecer a ELE tudo o que merece e pretende de mim, até que um dia nada mais haja a ser superado.

9 - As dores e sofrimentos que por ELE me forem infligidos serão motivos de felicidade e prazer para mim, pois sei que quanto maior for a frequência e a intensidade com que me supliciar, maior será o desejo e o amor DELE por mim.

10 - O objetivo final desta escrava é a total anulação de todo e qualquer resquício de vontades e desejos que compunham a vida medíocre de antes. Não serei mais uma pessoa, serei algo que o SENHOR de mim possui. Serei só um apêndice, uma extensão DELE.
Serei apenas um objeto nas mãos DAQUELE que aceitou e retirou esta mísera cadela do abandono, do abuso, da solidão, e que deu sentido e cor à vida cinzenta de antes, e que agora me conduz pelo caminho da total plenificação.


Tua sempre e para sempre...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

*No escuro*

Deitada em minha cama, madrugada se aproxima e com ela o frio. Frio de um quarto vazio, frio de uma saudade que aperta o peito.

O silêncio toma conta do quarto. O que se houve é um coração batendo rápido um coração que não tem pena de um peito que lhe acolhe, judia em suas batidas fortes, pois quer muito sentir o toque de Dono, toque que faz sonhar, toque que marca corpo e alma ao mesmo tempo.

Viro na cama de um lado pro outro o sono não vem.
Levanto-me e vou pro banheiro. Preciso de um banho.
Tiro minha roupa e enquanto isso... Sonho com meu Senhor.
A água bate em meu corpo e escorre por ele. Água fria que deixa meu corpo todo arrepiado.
Com os arrepios belas lembranças tomam conta dos pensamentos de sonhadora.

De repente alguém bate na porta...
Não me seco.
Enrolo-me na tolha e vou atender.
Abro a porta e não vejo ninguém.
Encontro um bilhete, Dono ordena que coloque um vestido de seda sem nada por baixo. Ordena que passe batom e que fique descalça esperando sua próxima ordem.

Vou ate meu quarto e coloco o vestido.
Vermelho bem decotado um pouco acima dos joelhos, pois Dono adora e as vontades de Dono estão sempre em primeiro lugar na vida de sonhadora.

Passo batom e volto pra sala.
Sento-me e espero ordem de meu Senhor.

O telefone toca... É meu SENHOR, ele ordena que eu desça, pois ele me espera.
Sei que ele não gosta de esperar, não pego nada e desço.

Ao chegar vejo meu Senhor... coração bate forte, linda visão,
Dono de mim, meu sorriso se abre ao novamente ver o dono de minha dor e prazer.

Entro no carro e logo meu SR me venda.
Não entendo nada, mais também não questiono o que meu SR faz, mais admito que não ver nada não deixa sonhadora muito bem,porem sigo em silêncio.
O carro segue.
Nesse momento totalmente entregue para ele fazer de mim o que quiser.

No caminho Dono fica em silêncio, mais não fica parado.
De repente sinto sua mão levantando meu vestido.
Começa a passar sua mão em minhas coxas, ele aperta. Cadelinha já se encolhe no banco do carro, Dono manda abrir bem as pernas, cadelinha abre e Dono leva sua mão em virinha de cadelinha, fica massageando esfregando, em seguida aperta bucetinha de cadelinha, com força com vontade.
Em seguida vai subindo sua mão...

Passa pelos meus seios, aperta o biquinho entre seus dedos.
Cadelinha com o corpo em chamas, se contorcendo no banco do carro. Dono desce sua mão e enfia 3 dedinhos em sonhadora, nessa hora o gemido sai,
Dono enfia o dedo mais fundo.
O prazer é muito grande, sentir Dono de mim me tocando é maravilhoso.
Dono força seu dedo cada vez mais, cadelinha gemendo.
Desejo prazer sentimentos que tomam conta de sonhadora.

Dono tira os dedos e esfrega na boca de sonhadora, manda sua cadelinha sentir o gosto do próprio melzinho. Cadelinha lambe os dedos de Dono.
Delicia cadelinha sentindo seu gosto e melhor ainda no dedinho de Dono.

De repente Dono para o carro, Dono me pega pelo braço e me leva, não sei onde estou estou mais confio plenamente em meu Senhor.
Mesmo assim as mãos suam o corpo fica trêmulo, adrenalina subindo cada vez mais.
Sentimentos que novamente se misturam, existe confiança mais o escuro assusta cadelinha, não saber pra onde estou sendo levada e nem o que me espera.

Ouço o ranger de uma porta... Desço uma escada amparada pelas mãos de Dono.
Ele me coloca sentada, sonhadora ficando angustiada de não poder ver nada, Mais ao mesmo tempo feliz de estar novamente com meu Senhor.
Meu SENHOR me pega pelos cabelos levanta cadelinha tira meu vestido me vira de costas e me dá 2 tapas na bunda,
algema minhas mãos para trás e em seguida se retira.

Ouço a porta se fechar... O silêncio toma conta do lugar.
O lugar é frio, acredito que esteja em um porão.
Cadelinha ficando assustada.

O tempo passa devagar, segundos parecem horas e eu ali de joelhos, olhos vendados e mãos algemadas.

A porta se abre, ouço os passos de DONO se aproximando. Dono me levanta, me coloca virada para parede, Cadelinha suada corpo quente já cansado, Perdi totalmente noção de tempo não sei quanto tempo fiquei ali de joelhos, só sei que o cansaço era grande.
De repente sinto um jato de água nas costas, um jato forte que me tira o equilíbrio, vou ao chão nesse momento, Dono continua jogando água, a água bate em meu corpo como uma vara a sinto batendo em mim e me marcando.

Dono desliga a água e se aproxima novamente.

Meu Senhor me coloca de pé, fico tonta e caio, Dono coloca seu pé sobre meu rosto contra o chão, cadelinha sente cheiro de Dono e beijo seu pé, e ele força cada vez mais meu rosto contra o chão.

Dono me pega em seu colo e me coloca deitada em uma cama.
Tira as algemas, e me coloca deitada de costas, Com o rosto virado para baixo.

Cada vez mais entregue as vontades do meu Senhor, é a única coisa que me importa naquele momento e satisfazer meu Senhor.

Entregar para ele minha dor e meu prazer.
Como ele determinar.

Deitada de costas com o coração batendo cada vez mais rápido, sempre esperando a próxima ação de meu Senhor.

Sinto algo gotejando em minha pele, primeira gota da vela sobre meu corpo.

E outra... Sinto as gotas cada vez mais freqüentes escorrendo sobre minha bunda e formando belas marcas.
Queima!!! Arde!!!

Silêncio quebrado com os gemidos de dor de sonhadora.
Pele de sonhadora ardendo e Dono marcando pele de sua cadelinha com belas gotas de vela azul.

Dono me coloca de frente.
Algema-me na cama.
Sonhadora com o corpo tremendo, com medo, com tesão um misto de sentimentos ali naquele momento.

Abre as pernas de sua cadelinha, deixa sonhadora de frente pra ele de pernas bem abertas.
Dono passa mão em minha bucetinha.
Sente ela molhadinha e em seguida coloca seu dedo na boca e sente o gosto de sua cadelinha, lambe o dedo e passa na minha boca, se levanta, me deixa ali com as pernas abertas, vai ate uma prateleira e pega uma vela vermelha.

Dono acende a vela, e começa a pingar sobre minha bucetinha.
Cadelinha grita Dono com delinho sobre o grelinho de cadelinha, abre ela e pinga dentro dela, os gemidos vão aumentando com cada gota que cai sobre minha pele.

Dono puxa sua cadelinha para bem perto dele, coloca cadelinha sentada.
Começa a passar as mãos pelos meus seios bem devagar.
Acariciam eles, e vai apertando aos poucos, cadelinha sentindo seu Dono judiar de seus seios, maravilhosa sensação do toque de meu SENHOR.
Ele aperta, e sonhadora se contorcendo e gemendo.

Dono pega a vela novamente e sonhadora já com os biquinhos dos seios bem durinhos, Dono começa a pingar a vela sobre os biquinhos durinhos de sonhadora.Cadelinha olha a cara de satisfação de Dono. Seu prazer em fazer aquilo é muito grande.
E o prazer de sonhadora é dar prazer ao meu Senhor.


Os biquinhos recebendo os pingos, e as gotas escorrendo sobre meu corpo. Sonhadora se contorcendo de dor e prazer ao mesmo tempo.

Prazer de Dono aumentando com os gemidos de sua cadelinha. Dono bate em meu rosto, tapas fortes. Em seguida beija sua cadela.

Senhor de mim arrancando dor e prazer de sua sonhadora.

Puxa cadelinha pelos cabelos e me coloca de joelhos.
Ordena que beije seus pés.
Coloca sua cadelinha em seu devido lugar
Lugar onde sua cadela se sente feliz e protegida.

Sonhadora sobe beijando as pernas de Dono, subindo e beijando lambendo e sentindo cheiro do meu Senhor.

Cadelinha chega ao pau de Dono, cheiro de Dono tomando conta do corpo de sonhadora.
Dono segura pelos cabelos de cadelinha e força cabeça de sonhadora pra engolir seu pau todinho, cadelinha não agüenta e leva tapa no rosto por fazer vômito no pau de Dono.

Ele força e quando cadelinha não agüenta toma mais tapa.
Dono bate com o pau na cara de cadelinha, e manda cadelinha tentar chupar a cada batida.
Sonhadora se esforçando para chupar pau de Dono, mais é muito difícil.

Tenta e Dono não deixa sonhadora chupar, bate com ele na cara de sua cadelinha e força enfiando bem fundo na garganta de sonhadora, inevitável não fazer vômito e impossível não ser castigada por não agüentar.
As lágrimas rolam no rosto de cadelinha.
Lágrimas de prazer, lágrimas pelos vômitos que não consigo evitar.

Dono levanta cadelinha, e senta na cama.
Coloca cadelinha no colo, e começa a tocar sonhadora.
Dedinho de dono mexendo no grelinho de sua cadelinha, ele mexe um pouco e depois enfia seu dedo, volta molha o dedinho e enfia novamente.

Cadelinha ficando toda lambuzada com seu próprio melzinho.

Dono para de mexer com o dedinho, pega cadelinha e coloca na sua frente.

Ordena que cadelinha empine bem a bundinha para ele.

Cadelinha empina bumbum pra Dono, e sente o primeiro tapa.
Em seguida vem um mais forte, e outro e depois outro.

Dono se levanta e coloca cadelinha de costas para a parede.
Segura na cintura de cadelinha e ordena que empine o Maximo.

Cadelinha esperando.
Dono fica parado um pouco.
Fica olhando não fala nada apenas observa.

Aproxima-se e diz pra cadelinha...
Hora de possuir totalmente o que é meu.

Segura pelos cabelos de sonhadora com força e sem pena começa a possuir cadelinha.

Sonhadora sentindo Dono todinho dentro dela.
Gemidos de Dono música para os ouvidos de sonhadora.
Enquanto Dono possui sua cadela bate com força bate sem pena.
E cadelinha cada vez mais excitada não consegue conter seus gemidos de prazer.

Cadelinha sente o gozo cada vez mais próximo e implora pra Dono que permita que sua cadela goze para ele.

Dono para...
Afasta sonhadora, ordena que fique de joelhos.

Cadelinha de joelhos pra Dono.

Dono pega sonhadora, segura pelos cabelos e ordena que chupe seu pau.
Cadelinha chupando Dono, cadelinha com pau de Dono todinho na boca.

Dono metendo cada vez mais rápido.

De repente cadelinha sente em sua boca o gozo de meu Senhor.
Dono ordena que engula tudo, e cadelinha assim faz.

Prazer de Dono todo dentro de cadelinha.
Gozo de Dono na boca de sonhadora é como provar o néctar dos deuses.

Cadelinha feliz por Dono matar fome de sua cadela com seu leitinho.

Dono se senta em uma poltrona e ordena que cadelinha se toque pra ele e goze.

Pois como é dono da dor é prazer de sonhadora estava na hora de pegar o que lhe pertencia.
O prazer de sua cadela.

Cadelinha senta no chão de frente pra Dono e começa a se tocar.
Abre bem as pernas e mexe no grelinho para Dono.

Dono fica ali observando.
Sua cadelinha no chão se tocando pra ele, para em seguida entregar o que lhe pertence, o gozo de sua sonhadora.

Dono manda cadelinha mexer mais rápido.

Cadelinha mexendo, e cada vez mais rápido.
Gozo de cadelinha vindo se aproximando.
O gemido cada vez mais alto e não parando de mexer.

Cadelinha avisa pra Dono que vai gozar.

Dono manda cadelinha parar de mexer.

Cadelinha para.

Dono então olha para sonhadora e diz que quer que cadelinha goze que não era para olhar daquele jeito.
Sonhadora pede perdão pra Dono, pois não tinha intenção de questionar uma ordem dele, mesmo sendo através de um olhar.

Dono manda cadelinha se levantar e disse...

Você vai gozar sim cadelinha... Mais vai gozar e no pau de seu Dono.

Dono coloca sonhadora em seu colo de frente pra ele.
E manda cadelinha mexer bem gostoso, cadelinha rebolando.
Dono segura na cintura de sonhadora com força, sentindo sua cadela rebolar em seu pau.
Mexendo, rebolando cadelinha quase gozando de novo.
Pede permissão pra Dono, pois já não agüenta mais e precisa gozar.

Dono da uma um sorriso e autoriza cadelinha.

Foi tudo ouvir aquilo.

Cadelinha mexe e o gozo vem, vem como água em uma fogueira.
Gozo vem e cadelinha fica molinha no colo de Dono.
Cadelinha entrega para Dono o que lhe pertence o prazer de sua sonhadora.
Dono dá seu colo para cadelinha e acaricia sonhadora.
Hora do carinho de Dono.

E é isso que me faz cada vez mais me entregar para ele.
Pois a mesma mão que ele usa para marcar meu corpo e tirar seu prazer é a mesma que ele usa para acariciar, para acolher em seu colo.
Ele não troca de mão.

Por isso cadelinha se entrega para Dono a qualquer hora e em qualquer lugar, no escuro no claro em um porão frio ou em um lindo campo ensolarado, pq o lugar seja ele qual for será sempre lindo com a presença de meu SENHOR.

Hora de cadelinha voltar para casa.
Dono manda cadelinha colocar o vestido.
Sonhadora curiosa para saber onde ficava aquele lugar.
Imaginando agora poder ver o caminho.

Dono puxa cadelinha e novamente venda seus olhos.
Dá uma risada que só ele consegue dar, que arrepia cadelinha completamente, e diz....

Cadelinha acha que não Dono não conhece seus pensamentos?
Sei que esta louca para saber para onde te trouxe.
Mas não vai saber não cadelinha.

Vem aquele sorriso sem graça de sonhadora.

Dono novamente segura pelo meu braço e me leva ate o carro novamente.

Cadelinha entra no carro.
Dono liga o carro e segue.

Sonhadora vai feliz realizada, pois novamente seu Dono possuiu seu corpo, e pode dar prazer ao seu Senhor.

(Mais confesso que muito curiosa ainda, porém com a certeza de ser a mulher mais feliz desse mundo, por pertencer ao meu Senhor)...

Obrigada SR por fazer sua cadelinha sonhadora se descobrir mais a cada dia que passa.
Obrigada pelo prazer e obrigada pela dor.
Obrigada por me fazer mais mulher.
E nunca deixando de ser... Uma eterna sonhadora.

Sonhadora Safia®
DIA: 04-12-2008

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

*Quem nunca?*

Quem nunca teve medo diante do desconhecido?

Quem nunca se apavorou com algo que não podia controlar?

Quem nunca chorou por não ter o que queria de coração?

Quem nunca pensou em desistir, antes mesmo de tentar?

Quem nunca teve seu coração partido por uma decepção?

Quem nunca criticou o outro, achando que é mais fácil ser outro alguém e achando que as coisas pra vc sempre é mais difícil.

Quem nunca teve um olhar de critica em sua direção apenas por ser vc mesma e não ser o que certas pessoas levam como padrão de normalidade.

Quem nunca por um instante implorou para desaparecer, ficar invisível diante dos outros. Sendo assim uma forma de se esconder da realidade.

Quem nunca se ajoelhou diante de alguém e ao contrário de se sentir pequeno se sentiu grandioso. Ajoelhar-se é um ato de dignidade ao contrário da visão de muitos que acham fraqueza.
Ajoelhar-se é muito além de um fetiche, é demonstração de respeito, carinho e orgulho.

Não se preocupe...
Vc é normal se já sentiu algo ou tudo que está ai em cima.
Sabe pq?

O medo é algo que se sente tanto em momentos de alegria ou tristeza. O medo te dá segurança e insegurança ao mesmo tempo devida à situação vivida.
O desconhecido assusta sim, é normal, o ser humano foi feito para se defender quando se sente acuado. E quando se sente acuado automaticamente se sente medo.
Não lute contra sua natureza sinta o que a vida lhe proporciona. (Apenas sinta).


Sempre queremos ter controle de nossas vidas, isso é normal também. A insegurança às vezes toma conta e é complicado tentar entender, aprendi que existem coisas na vida que não foram feitas para se entender apenas para se sentir. Mas mesmo assim as perguntas vão sempre atormentar a cabeça de quem tem fome em se descobrir cada vez mais.

A insegurança às vezes se torna algo que apenas te atrapalha. Quantas vezes desistiu por medo e insegurança de tentar?.

E quantas vezes vc achou melhor não viver algo por medo do fracasso, mais não percebendo que o seu fracasso tinha acabo de acontecer ao desistir.
Depois restando apenas à dor do tal fracasso que humilha destrói quem busca realmente algum horizonte.

Obra do destino? Do acaso? Ou do tal desconhecido?

Risos... Seja lá de quem for ao final sempre nos arranca algumas lágrimas.

Por falar em lágrimas quem nunca chorou por amor?

Nesses meus 27 aninhos ainda não conheci ninguém, sei que não vivi o bastante e nunca vou viver o suficiente para entender, porém acredito que essa pessoa ainda não nasceu.

Lágrimas e amor uma ligação muito forte.
Bom... como fã que sou de lágrimas acho que ela esta envolvida sempre com todo tipo de sentimento e se vertem quando as palavras já não fazem mais sentido, ou já não consegue serem ditas.
Ou quando o ser humano se entrega é se expressa através de sua alma. (O que em minha opinião é o mais digno a se fazer).

Aprendo a cada dia que a decepção sempre vai existir.
Porém o certo a fazer não é desistir nem abaixar a cabeça diante disso, deve tirar proveito para crescer como ser humano. Pois o sofrimento é uma forma de aprendizado e amadurecimento. (Forma mais eficaz por incrível que pareça).

As criticas vão surgir os olhares vão te perseguir.
E se vc não estiver preparado isso só vai te afundar cada vez mais, Porque é muito mais fácil vc se colocar no lugar dos outros e dizer que faria diferente, esquecendo que cada um age e reage da maneira que lhe é de costume.

Sabe pq é mais fácil?

Porque certamente mesmo se colocando no lugar de outra pessoa vc não vai viver aquilo na sua pele, e com certeza não sofrerá com o preço a ser pago pela escolha correta ou não.

Fugir, desaparecer, não irá resolver seu problema.
Vai estar apenas adiando o inevitável...
Que é viver seu destino. (Não fuja mais, encare sua vida e suas batalhas de frente e cabeça erguida).

Sabe o pq disso tudo?

Deus lhe deu a vida para ser vivida intensamente, se não faz isso, tudo que foi feito por vc se torna algo sem sentido.

Se sente fraco diante de algumas situações o correto não é apenas sentar e deixar passar, muitas vezes temos que...
Correr atrás do que queremos lutar pelos nossos objetivos

Isso não ira te fazer melhor nem pior que ninguém.
Mas com certeza lhe tornará único e o mais importante.
Uma pessoa de bem consigo mesmo de alma limpa e coração puro.

Andar de cabeça erguida por ser vc mesma, não é ser orgulhoso, é sim ter orgulho de estar de bem com a vida.

(Cabeça baixa no meu caso apenas demonstrando minha submissão e respeito pelo meu Senhor).


Sempre Sonhadora de pés no chão.risos

Sonhadora Safia®
DIA: 03-12-2008

*Aqui vai minha opinião sobre sadomasoquismo, relação Dominadora x submissa:*


Logo de inicio diria que uma relação assim, é um compartilhamento sexual muito intenso, onde pelo menos durante o tempo de dominação, não pode haver o sentimento "AMOR", pois é nessa hora que provocaremos dor na mulher submissa, a "usaremos", como se costuma dizer, totalmente fora dos padrões normais de relacionamento.

O prazer tem ser encaixado como uma peça de quebra cabeça, tem posição certo local certo, etc..

Sempre que se fala sobre o assunto, se diz que o respeito tem que estar acima de tudo, só que algumas atitudes não vejo que possam ser respeitosas, como por exemplo, a modificação corporal, as marcas que deixam cicatrizes por uma sessão de spank, mas dirá que isso faz parte, que é consentido, é consesual sim, mas não é respeitoso de forma alguma. Eu gosto muito da submissa que gosta de ser desrepeitada como ser humano, é verdade, gosto de marcá-la no auge do desejo. Muitas vezes de buscar seu choro e por fim traze-la ao orgasmo mais profundo, daquele que vem do fundo da alma.

Não gosto de relacionar-me com mulheres que não sejam masoquistas, pois me dá um prazer intenso digamos judiar da submissa, de surrá-la ao sabor do chicote, muitas vezes de chibata diretamente na genitália. Mas não preciso que isso seja um castigo, gosto de fazer e ponto, gosto de tocar a vagina da sub entre uma chicotada, palmada, seja lá o que estiver fazendo, para sentir se realmente está gostando disso.

Todas as vezes que me relaciono com uma submissa, atualmente em entendimentos com uma, gosto que seja real. Pois o toque, o tato me faz falta, a visão por meios eletrônicos, como webcam, não são a mesma coisa, gosto do virtual por e-mail, ou por troca de textos como este. Mas sempre com a possibilidade de tornar-se real.

Quanto a você, que é uma linda mulher, certamente inibiria qualquer Dominador que não tivesse experiência. Já que tem uma voz maravilhosa, musical, um perfil belíssimo. E deve ter um corpo maravilhoso. Essa beleza chega a inibir o seu parceiro fixo, é como se fosse um bombom envolto em uma linda embalagem, que se aprecia tanto, o visual, que se perde a vontade de tirar-lhe o que a envolve, e ficar apenas olhando.

Ah! Sim, não posso esquecer não grosseiro fora de hora, não gosto de xingar, muito menos de gritar para dizer que mando.

Quando inicio uma relação gosto de expor como se fosse uma entrevista, tudo que gosto, e o que não faria de forma alguma, e gosto de saber da mulher submissa, todas as suas fantasias, e principalmente o que sente, ou o que acha que vai sentir nesta ou naquela atitude, para sempre saber o que será seu sentido. Adoro manter amarrada, mas dá muito trabalho, talvez se leve muito mais tempo preparando a imobilização do que agindo com ela assi, creio que seja por isso que vemos aqueles seios roxos por falta de circulação.

E assim vai cada item, cada ato sadomasoquista. espero que tenha alcançado o que deseja.

Eduardo

DIA:03-12-2008

*BDSM Respeito é bom e todos gostamos*




Me envie um anjo

Você acredita no paraíso acima?
Você acredita no amor?
Não diga uma mentira
Não seja falso ou incorreto
E tudo volta para você
Fogo aberto no meu coração ardente
Eu nunca tive sorte no amor
Minhas defesas estão ruins
Um beijo ou uma reprovação
Eu não posso sobreviver por mim mesmo
Sonhos vazios podem só desapontar
Em um quarto atrás de seu sorriso
Mas não desista
Você pode ser sortudo no amor
Está nos seus olhos
Isso faz você chorar
Não sabe o que fazer
Você está procurando por amor.
Chamando o paraíso acima...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

*Lógica do Erro*

Em muitos momentos da vida de uma escrava, ela se depara com os erros, ou seja, o não cumprimento da vontade do Dono.
Eles acontecem pelos mais diversos motivos, como por exemplo: por algum compromisso familiar ou profissional; por falta de atenção, pelo desejo de acertar e não conseguir, ou até mesmo por opção voluntária de agir em contrário às ordens do Dono.
Mesmo assim é interessante notar o quanto algo tão simples pode incomodar tanto as escravas a ponto de fazê-las se sentirem perdidas e com enorme peso de consciência.
Não podemos perder de vista que temos diante de nossos olhos a realidade e a fantasia, separados por um longo período de tempo.
A realidade é que a escravidão não mais existe e a fantasia é a tentativa de reconstruir algo que nos remeta a viver situações similares às que ocorreram naquela época.
E a cobrança de um erro materializa essa relação de escravidão.
O erro, aos olhos de dominadores que não gostam de castigar suas escravas sem um motivo aparente, é muitíssimo bem vindo! Por meio dele que o Mestre legitimamente pode imputar os mais diversos tipos de castigos à sua escrava, proporcionando o seu crescimento e a sua entrega mais intensa.
Vale a pena ressaltar que os castigos aplicados por erros cometidos são muito mais prazerosos e eficazes do que aquele que são aplicados por mera vontade de quem domina.
Os castigos aplicados por erros permitem à escrava refletir sobre sua condição e sua livre vontade de servir, e ao mesmo tempo permite a ela, a oportunidade de se corrigir pelo prazer da relação que vivencia. Por isto, uma escrava não deve se preocupar em demasia com um erro cometido, mas deve estar preparada para assumi-lo e pagar o preço que for cobrado.
Essa cobrança pode ser física ou psicológica depende da vontade do Mestre.

MESTRE HURANUS®